Importância das Vacinas | Imunocamp
Atendimento de segunda à sábado das 10h às 22h
Pq. Dom Pedro Shopping
Av. Guilherme Campos, 500. Campinas / SP

Ver no mapa

(19) 3756-7912 | 3385-0105 | 99891-3456

(19) 3756-7912
(19) 3385-0105
(19) 99891-3456

Importância das Vacinas

É importante vacinar?

Sem dúvida as vacinas, e a introdução das vacinas em larga escala, vacinando grandes populações, provocou a redução e até extinção de algumas doenças, e consequentemente além de aumentar a qualidade de vida das pessoas protegidas, preveniu mortes.

É isso, evitar a morte e melhorar a qualidade de vida, são os principais motivos para vacinar. Existem pesquisas que mostram que nos últimos dois séculos as vacinas aumentaram em aproximadamente 30 anos a longevidade dos seres humanos.

Temos como exemplos recentes a poliomielite e o sarampo que após vacinação em massa e diversas campanhas em nosso país estavam praticamente controladas.

As vacinas são vítimas do seu próprio sucesso, uma vez que as pessoas por desconhecerem a doença que muitas vezes é fatal ou causam seqüelas, se prendem a efeitos adversos comuns e também se deixam influenciar por grupos médicos, religiosos, filosóficos que pregam a anti vacinação.

Uma pena que hoje em dia enfrentamos os movimentos anti vacina, que baseados em conceitos errôneos e mal definidos, associam possíveis doenças desencadeadas supostamente após determinada vacina.

Devemos lembrar que as vacinas, como qualquer medicação não está isenta de causar eventos adversos. Porém esses efeitos negativos são incomparavelmente inferiores aos benefícios, geralmente são de pequena monta e facilmente controláveis.

Com isso muitas pessoas deixam de vacinar, a si e aos seus filhos, deixando vulnerável tanto a nível individual, quanto expondo as pessoas ao seu redor a doenças facilmente previníveis através da vacinação.

A nossa missão então é combater os movimentos anti vacina através de informação, tentando levar ao maior número de pessoas, dados comprovados através de pesquisas científicas sérias e auditadas.

Fonte: Recusa de Vacinas