Outras Vacinas | Imunocamp
Atendimento de segunda à sábado das 10h às 22h
Pq. Dom Pedro Shopping
Av. Guilherme Campos, 500. Campinas / SP

Ver no mapa

(19) 3756-7912 | 3385-0105 | 99891-3456

(19) 3756-7912
(19) 3385-0105
(19) 99891-3456

Outras Vacinas

  • Vacina produzida com o Mycobacterium bovis , microrganismo vivo e atenuado, dever ser aplicada de preferência no primeiro mês de vida , e que protege contra as formas graves de tuberculose:

    • Meningite Tuberculosa.
    • Tuberculose miliar (forma pulmonar disseminada e grave).
    • Formas disseminadas da doença.
  • A vacina que protege contra a Hepatite B que causa tanto hepatite e também pode evoluir para formas crônicas (cirrose hepática) ou câncer de fígado. Essa vacina deve ser aplicada logo ao nascer para se prevenir a transmissão da doença de mãe para filho.

    O esquema básico de imunização prevê a dose ao nascer , segunda dose 30 dias após e terceira dose 6 meses após a primeira dose. É recomendada também a vacinação de população exposta a essa doença (profissionais de saúde, bombeiros, policiais, profissionais do sexo, entre outras). Toda criança ou adulto não vacinado pode receber essa vacina.

  • A Febre Amarela é uma doença viral e transmitida por mosquito que nas cidades vem a ser o Aedes aegypti . A febre amarela urbana esta controlada em nosso país desde 1942, porém a forma silvestre não há como controlar . A vacinação esta indicada para quem viaja ou mora em área de risco e pode ser aplicada a partir de 9 meses de idade. O Brasil possui uma vacina totalmente eficaz contra a doença.

    A vacina deve ser tomada dez dias antes de as pessoas entrem em contato com estas áreas consideradas de risco. Desde abril de 2017 o Ministério da Saúde com apoio da Sociedade Brasileira de Imunizações instituiu dose única para essa vacina para individuos a partir de 9 meses de idade .

    A vacina é contra-indicada a gestantes, imunodeprimidos (pessoas com o sistema imunológico debilitado) e pessoas alérgicas a gema de ovo.

    A vacinação é indicada para todas as pessoas que vivem em áreas de risco para a doença (zona rural da Região Norte, Centro Oeste, estado do Maranhão, parte dos estados do Piauí, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), onde há casos da doença em humanos ou circulação do vírus entre animais (macacos).

  • O Haemophilus influenza B, é responsável por 3 formas de doenças muito graves que são: meningite , epiglotite e pneumonia. Após a introdução dessa vacina no Programa Nacional de Imunizações em 1999 , essa doença praticamente ficou controlada no nosso país. O esquema básico é de 3 doses aos 2, 4 e 6 meses de idade. Em nosso país na rede pública não se faz o reforço após 1 ano de idade . Na rede privada se opta por fazer esse reforço, segundo recomendação da SBIM (Sociedade Brasileira de Imunizações).

    Adultos portadores de imunodeficiência primária ou secundária , ou portadores de asplenia funcional ou anatômica, também são elegíveis para tomar essa vacina.

  • Temos 2 tipos de vacinas anti HPV disponíveis no Brasil. A vacina anti HPV quadrivalente MSD atualmente é oferecida pela rede pública de saúde para meninas de 9 até 15 anos, e portadores de vírus HIV e doenças auto imunes até 26 anos de idade.

    É oferecida também na rede pública, desde janeiro de 2017, para meninos de 11 a 15 anos anos.

  • Ao contrário que muita gente pensa o resfriado e a gripe não são a mesma coisa . No resfriado comum geralmente os sintomas são leves tais como febre baixa , tosse e coriza , ao contrário da gripe que tem início súbito , com febre alta , dor no corpo, dor de cabeça , tosse e coriza importante.

    No Brasil os casos de gripe ocorrem nos meses frios do ano ( maio, junho e julho), elevando o número de falta a escola , trabalho , internações hospitalares, pneumonia e morte, sendo os casos mais graves em crianças antes de 2 anos e idosos.

    A vacina é feita de vírus morto e a duração da proteção é de um ano , sendo necessário a revacinação anual.O tempo decorrente entre a aplicação da vacina e a proteção costuma ser em torno de 15 dias.

    É contra indicada em quem apresenta reação alérgica do tipo anafilático ao ovo ou neomicina ou que apresentou Síndrome de Guillain Barre.

    Todo indivíduo acima de 6 meses é elegível para ser vacinado anti influenza. Em documento recente o CDC( Centers of disease Control and Prevention - EUA) recomenda que pessoas que co-habitam ou cuidam de menores de 6 meses de idade devem se vacinar tanto para se proteger , quanto para proteger o bebe que ainda não esta apto a receber essa vacina.

    Fonte: www.cdc.gov/flu/

  • As infecções por Rotavírus são as causas mais freqüentes de gastroenterite no mundo. Essa vacina é licenciada no Brasil e faz parte do Programa Nacional de Imunizações desde 2006.

    Segundo levantamentos em nosso país, essa vacina preveniu de forma importante os casos de diarréia aguda grave e hospitalização por diarréia.

    Fonte: Sáfadi, Marco Aurélio Palazzi -Impacto da vacinação universal contra rotavírus nas hospitalizações por gastroenterite aguda em crianças menores de 5 anos em São Paulo./ Marco Aurélio Palazzi Sáfadi. São Paulo, 2011. Tese de Doutorado. Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – Curso de Pós-Graduação em Ciências da Saúde)

  • Sarampo:O Sarampo é uma doença infecciosa, altamente contagiosa. É causado por um vírus RNA, Paramyxovirus, subgrupo Morbillivírus. Antes da vacinação em massa a faixa etária das pessoas acometidas era de 5 a 10 anos. Atualmente a doença vem ocorrendo mais em adolescentes e adultos jovens, pois um percentual importante desta população não teve contato com o vírus selvagem do sarampo e muitos não receberam uma segunda dose da vacina após 1 ano de idade.

    Em nosso calendário vacinal orienta dose inicial é dada aos 12 meses com reforço aos 5 anos de vida.

    A opção por não vacinação em países da Europa por tabus em relação aos efeitos adversos que foram erroneamente atribuídos a essa vacina, e também por motivos filosóficos ou religiosos, fez ressurgir o sarampo nos países da Europa.

    Caxumba:A parotidite é uma infecção viral mais freqüente no fim do inverno e na primavera. Acomete principalmente as crianças e é mais grave nos adultos, fase em que ocorre a maioria dos óbitos (que são raros) em conseqüência dessa infecção.
    Enfermidade
    Pelas suas características, a parotidite é uma enfermidade sistêmica benigna que acarreta um aumento unilateral ou bilateral da parótida. No entanto, podem ocorrer manifestações além das glândulas salivares, que agravam o curso da doença como orquite e meningoencefalite.

    Rubéola: A rubéola pode se apresentar sob duas modalidades: a forma congênita ou pré-natal e a forma adquirida ou pós-natal. A rubéola é uma enfermidade de distribuição universal que ocorre com maior freqüência na infância, com surtos epidêmicos cada 4-5 anos. A infecção por rubéola na sua forma adquirida, em geral manifesta -se como uma enfermidade leve, sem grandes repercussões. No entanto, na forma congênita, principalmente quando acomete a gestante no primeiro trimestre, pode ocasionar graves malformações congênitas, o que constitui a síndrome de rubéola congênita. Apenas a título de lembrança as anomalias mais comumente associadas a rubéola congênita são as anomalias oftalmológicas (catarata, retinopatia e glaucoma congênito), cardíacas (persistência de canal arterial-PCA, estenose arterial pulmonar, defeito de septo atrial ou ventricular), auditivas (surdez sensorioneural),e neurológicas (microcefalia, meningoencefalite e retardo mental).

  • A doença meningocócia causada pelo meningococo tipo C, pode ser prevenida e esta presente na Rede Pública de Saúde desde novembro de 2010( no Estado de São Paulo).

    É disponível, portanto na Rede Pública para crianças maiores de 3 meses e menores de 5 anos de vida.

    É oferecida para adolescentes de 11 a 14 anos e 11 meses , como dose de reforço ou como primeira dose para os não vacinados anteriormente.

    Na rede privada de vacinação pode ser dada a partir de 2 meses de idade, sem limite da idade máxima.

  • A vacina anti poliomielite inativada vem sendo adotada em países onde a poliomielite esta controlada , devido ao risco da vacina anti poliomielite oral (Sabim) causar quadro de paralisia flácida após vacinação. Essa paralisia flácida é definida por Paralisia flácida e aguda (PFA) que se inicia entre 4 a 40 dias após o recebimento da vacina oral anti poliomilelite e que apresenta seqüela neurológica compatível com poliomielite 60 dias após o início do déficit motor.

    Apesar do risco desse efeito adverso ser baixo, a vacina de vírus inativado já vem sendo usada na rotina de calendários oficiais de muitos países da Europa e nos Estados Unidos.

    Ela pode ser administrada em crianças imunodeficientes, e nas crianças saudáveis porém, contactantes de pessoas imunodeficientes e também em transplantados de medula óssea.

  • Doença provocada por vírus, caracterizada por erupção vesico-bolhosa, e embora na maioria dos casos tenha evolução benigna , pode evoluir para complicações como: varicela hemorrágica, pneumonia viral ou bacteriana, infecção cutânea, e complicações do sistema nervoso central.

    A Vacina pode ser administrada a partir de 1 ano de idade, mas em alguns casos especiais, pode ser dada aos 9 meses , dependendo de orientação médica e avaliação de riscos.

  • Oferecida pela rede pública de saúde desde 2010 , para crianças menores de 5 anos de idade.

    A vacina anti pneumcoco 10 valente , mostou-se eficaz na redução dos casos de doença invasiva causada pelo pneumococo ( meningite , pneumonia bacterêmica, e septicemia).
    Fonte: www.sbim.org.br